«

»

Filme “Branded The Mad Cow” (2012)

Branded The Mad Cow (2012) é um desses filmes que desafiam a lógica e o senso corrente no que se refere à sétima arte. Com um roteiro nada convencional e muito menos linear, o filme se altera em drama e sátira provocando no telespectador a sensação de ter mudado de um mundo para outro em um pulo de tela. Sua importância deve-se a sua crítica nada sútil ao capitalismo e todo seu arsenal de fast food, marketing e rivalidade das grandes corporações multinacionais.

Usando como plano de fundo o cenário da Rússia atual em contraste com os tempos de socialismo leninista, o filme transmite ao telespectador praticamente uma palestra sobre o marketing politico utilizado por Lenin na campanha que divulga os ideais comunistas da União Soviética no inicio do século XX.

Uma das partes mais interessantes do filme é no auge do drama em que o protagonista (Misha Galkin ) se encontra dividido entre reconquistar seu grande amor (Abby Gibbons), a descoberta de um filho e as alucinações que passou a ter. Ele então tem o seguinte dialogo com a mãe do seu filho.

– (Misha Galkin) Todos estão felizes por ai, todos estão sorrindo.

– (Abby Gibbons) É porque todos querem ser felizes!

– (Misha Galkin) Um cordeiro castrado também é feliz, Porque ele não sabe o que perdeu! Nem sabemos mais que desejos podem ser diferentes, fomos treinados a amar merda, querer merda, merda e mais merda.

– (Abby Gibbons) Treinados por quem?

– (Misha Galkin ) Lênin, marketing, marketing foi inventado por Lênin, e agora é a base da economia mundial .  A grande revolução das marcas globais venceram. Estamos em um mundo criado por Lênin. Antes, as marcas formavam-se a partir dos desejos das pessoas. Agora as pessoas é que são formadas de acordo com os desejos das marcas.

Na verdade, o filme encontra diversos problemas para prender o espectador. Faz um apelo excessivamente gritante contra a ditadura das multi corporações , muda de gênero algumas vezes o que o faz perder o foco e por muitas vezes perder também o sentido e a direção da trama, é um filme difícil de classificar em algum gênero, e se o espectador não tiver o mínimo de noção de conceitos sociais com certeza não vai gostar do enredo por não conseguir entender os conceitos implícitos! Traz à memória o incrível e aclamado Eles vivem (They Live) de 1988, mas não consegue atingir a magnitude do mesmo, porém não deixa de ser interessante justamente por ser um filme Russo que foge do convencional, e atrai o espectador pela necessidade de atenção e esforço que o espectador deve ter para acompanhar a história, por esse motivo, cativa e se torna interessante assim como a roupa invisível do rei, só os inteligentes (preparados) conseguem ver! (Douglas G. Fernandes)

FICHA TÉCNICA:

  • Título Original: The Mad Cow
  • País de Origem: EUA/Rússia
  • Gênero: Ação / Ficção Científica / Suspense/ Drama/ Sátira
  • Duração: 102 Minutos
  • Ano de Lançamento: 2012

(Fonte: http://cpalexandria.wordpress.com)

Recomende essa postagem

Share to Facebook
Share to Google Plus

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.





O relógio da Terra mostra-nos alguns dos impactos causados pelo Homem na Terra. As estatísticas nele apresentadas, que estão a ser actualizadas ao vivo, podem ser verificadas nos sites seguintes:


População mundial: US Census Bureau
Taxa de crescimento populacional: CIA World Factbook
População prisional: UK Homeoffice
Divórcios (apenas para os Estados Unidos): Wikipédia
Imigração ilegal nos Estados Unidos: Wikipédia
Abortos: Wikipédia
Mulheres que morrem durante procedimentos abortivos incorrectos: Organização Mundial de Saúde
Taxa de infecções por HIV: Avert
Taxa de incidência de cancro: UICC
Temperatura média da Terra: Wikipédia
Extinções de espécies: National Wildlife Federation
Produção de petróleo: CIA World Factbook
Produção de carros: Mation Master
Produção de bicicletas: Earth Policy
Produção de computadores: Top Secret
Estatísticas de mortalidade: Organização Mundial de Saúde